Livro selecionado: "Obras Póstumas "

ÍNDICE

Projeto 1868

Um dos maiores obstáculos à propagação da doutrina é a falta de unidade. O único meio de evitá-lo, se não presentemente, ao menos no futuro, é apresentar essa propagação em todas as suas partes e até nas minudências com tal precisão e clareza, que seja impossível qualquer interpretação divergente.

Se a doutrina do Cristo deu lugar a tantas controvérsias, se, ainda hoje, é tão mal compreendida e diversamente praticada, é porque o Cristo se limitou ao ensino oral e os apóstolos não ensinaram senão princípios gerais que cada um interpretou, segundo suas idéias e interesses. Se tivesse procedido à organização da igreja cristã com a precisão de uma lei ou de um regulamento, é incontestável que isso teria prevenido a maior parte dos cismas e das querelas religiosas, assim como a exploração, que se tem feito da religião, em proveito de ambições pessoais. Resulta daí que, se o Cristianismo foi para alguns homens esclarecidos um meio de reforma moral séria, não foi nem é ainda para muitos senão objeto de crença cega e fanática, o que, num grande número, produziu a dúvida e a incredulidade.

O Espiritismo, bem entendido e bem compreendido, é o meio único de remediar este estado de coisas e tornar-se, como dizem os Espíritos, a grande alavanca de transformação da humanidade. A experiência deve esclarecer-nos sobre o caminho a seguir; mostrando-nos os inconvenientes do passado, ela nos diz claramente que o único meio de evitá-lo para o futuro é assentar o Espiritismo em bases sólidas de uma doutrina positiva, nada deixando à interpretação. As dissidências, que poderiam surgir, se fundirão na unidade principal, estabelecida em bases mais racionais, claramente definidas.

Resulta ainda destas considerações que este processo, dirigido com prudência, é o meio mais salutar contra os antagonistas da doutrina espírita. Todos os sofismas virão quebrar-se de encontro a princípios, que a sua razão é forçada a aceitar.

Dois elementos devem contribuir para o progresso do Espiritismo: o estabelecimento teórico da doutrina e os meios de popularizá-la. O desenvolvimento, que ela toma todos os dias, multiplica as nossas relações, que mais e mais avultarão pelo impulso da nova edição de O Livro dos Espíritos e conseqüente publicidade da doutrina.

Para utilizar vantajosamente essas relações se, depois de constituída a teoria, devo também concorrer para a sua instalação, seria mister que, além da publicação da minha obra, me fossem dados meios de ação mais direta. Penso que seria isso útil, porque haveria mais unidade em ser o fundador da doutrina, o seu impulsor. A este respeito, a sociedade deve, necessariamente, exercer grande influência, como o tem dito os próprios Espíritos; a sua ação porém não será realmente eficaz quando servir de centro e ligação para um ensino que prepondere sobre a opinião pública. Para isso precisa de uma organização mais forte e de elementos, que ora lhes faltam. Em nosso século e com os nossos costumes, os recursos financeiros são o grande motor de todas as coisas, quando empregado com critério. Na hipótese da sua falta completa, eis o plano, que eu seguiria e cuja explicação seria proporcional à importância dos meios e subordinada aos conselhos dos Espíritos.(126)

(126) A preocupação de Kardec com a organização do movimento espírita se concretiza hoje através de várias instituições. No Brasil temos o chamado Movimento de Unificação, no continente a Confederação Espírita Panamericana e no mundo a Federação Internacional de Espiritismo. Esses organismos e vários outros de âmbitos nacionais vão aos poucos se entrosando numa grande organização mundial. (N. do Rev.)

Copyright 2004 - LAKE - Livraria Allan Kardec Editora
(Instituição Filantrópica) Todos os Direitos Reservados