Livro selecionado: "Obras Póstumas "

ÍNDICE

Fora da Caridade Não Há Salvação

(Pensamentos íntimos de Allan Kardec encontrados entre seus papéis)

Este princípio não é para mim simples teoria, pois que o ponho em prática. Faço o bem, quanto me permitem as minhas condições; presto os serviços que posso; os pobres nunca foram enxotados de minha casa, nem tratados com dureza, antes são sempre acolhidos com benevolência. Nunca lastimei os passos, que dei em favor de alguém. Muitos pais de família foram tirados das prisões por esforço meu.

Não me é lícito fazer o relatório dos bens, que tenho feito, mas ao tempo em que tudo é esquecido, julgo que me é permitido relembrar que a consciência não me acusa de ter feito mal a quem quer que seja, que tenho feito o bem que posso e isto repito sem ostentação. A este respeito a minha consciência está tranqüila, e as ingratidões, que tenho recebido, não me tolhem a disposição de continuar na senda até hoje seguida.

A ingratidão é uma das imperfeições da humanidade e como não há quem seja isento delas, é preciso relevar aos outros, para que nos relevem a nós a fim de podermos dizer com Jesus Cristo: "O que estiver limpo de culpa, atire a primeira pedra".

Continuarei pois a fazer o bem que me for possível, mesmo aos meus inimigos, porque o ódio não me cega; estender-lhes-ei sempre a mão para arrancá-los aos precipícios, quando para isto se me oferecer ocasião. É assim que compreendo a caridade cristã, essa religião que manda pagar o mal com o bem e, com mais forte razão, o bem com o bem. Não compreendo porém aquela que retribui o mal pelo mal.

Copyright 2004 - LAKE - Livraria Allan Kardec Editora
(Instituição Filantrópica) Todos os Direitos Reservados