Livro selecionado: "Obras Póstumas "

ÍNDICE

Aos Assinantes da Revista

Até agora, a Revista Espírita tem sido especialmente criação e obra de Allan Kardec, como também as demais obras doutrinárias que ele publicou.

À época de sua morte, a multiplicidade de suas ocupações e o novo período em que entrava o Espiritismo faziam com que desejasse a companhia de alguns colaboradores convictos para a execução dos trabalhos sob sua direção, aos quais já não conseguia atender sozinho.(1)

Tentaremos não nos desviar da linha por ele traçada, mas pareceu-nos de nosso dever consagrar aos trabalhos do Mestre, sob o título de "Obras Póstumas", aquelas páginas que ele próprio manteria ocultas se permanecesse ainda entre nós.

A quantidade abundante de documentos acumulada em seu gabinete de trabalho nos permitirá publicar em cada número durante alguns anos, além das instruções que ele porventura nos dará em espírito, também aqueles interessantes artigos que ele sabia muito bem como tornar compreensíveis a todos.

Estamos, pois, convencidos que dessa maneira satisfaremos aos desejos de todos aqueles aos quais a Filosofia Espírita reuniu em suas fileiras e que souberam apreciar no autor de "O Livro dos Espíritos" o homem de bem, o incansável e devotado trabalhador, o espírito convicto, que se aplicava a por em prática na vida íntima os princípios que ensinava em suas obras.

(1) Kardec teve de realizar sozinho a Codificação e sozinho fundar, dirigir e redigir a Revista Espírita durante doze anos. Essa solidão não era voluntária, mas obrigatória. Faltavam-lhe colaboradores capazes de compreender a importância da obra e até mesmo o seu significado cultural e histórico. O próprio Camille Flammarion, o grande astrônomo, confirmou, ainda no discurso de despedida ao mestre, junto ao túmulo, a sua incompreensão a respeito, fazendo restrições indevidas ao trabalho de Kardec. O Espírito da Verdade e demais colaboradores espirituais da obra advertiam sempre a Kardec de que devia zelar pela linha doutrinária. Após a sua morte a Revista Espírita se manteve na mesma linha durante alguns anos, mas logo entrou num processo de desvio doutrinário que atingiu em nossos dias as proporções de um desastre. Isso revela a dificuldade que os homens ainda encontram na assimilação verdadeira do Espiritismo. (N. de J. Herculano Pires).

Revista Espírita — 12° ano — Junho de 1869

Copyright 2004 - LAKE - Livraria Allan Kardec Editora
(Instituição Filantrópica) Todos os Direitos Reservados