Livro selecionado: "A Gênese"

ÍNDICE

Geração Espontânea

20. É natural que se inquira porque não se formam mais seres vivos, nas mesmas condições dos primeiros que apareceram sobre a Terra.

A questão da geração espontânea, que hoje preocupa a ciência, se bem que haja sido resolvida por modos diversos, não pode deixar de lançar luz sobre tal assunto. O problema proposto é o seguinte: em nossos dias formam-se espontâneamente seres orgânicos, unicamente pela união dos elementos constitutivos, sem o concurso de germes preliminares que fossem produtos da geração normal? Em outras palavras, sem pai nem mãe?

Os partidários da geração espontânea respondem afirmativamente, e se apóiam sobre observações diretas, as quais parecem ser conclusivas. Outros pensam que todos os seres vivos se reproduzem uns dos outros, e se apóiam sobre este fato, constatado pela experiência, de que os germes de certas espécies vegetais e animais, estando dispersos, podem conservar uma vitalidade latente durante um tempo considerável, até que as circunstâncias sejam favoráveis à sua eclosão. Esta opinião deixa sempre de pé a pergunta relativa à formação dos primeiros tipos de cada espécie.

21. Sem discutir os dois sistemas, convém notar que o princípio da geração espontânea não pode aplicar-se evitentemente senão aos seres das ordens mais inferiores do reino vegetal e do reino animal, àqueles nos quais começa a surgir a vida, e cujo organismo, extremamente simples, é de alguma forma rudimentar. São efetivamente aqueles os primeiros que apareceram sobre a Terra, e cuja geração provavelmente foi espontânea. Assistiríamos assim a uma criação permanente, análoga àquela que teve lugar nas primeiras eras do mundo.

22. Mas então, por que não se vêem mais formar da mesma maneira, os seres de organização complexa? Tais seres não existiram sempre, é fato positivo; logo, algum dia tiveram começo. Se o musgo, o líquem, o zoófito, o infusório, os vermes intestinais e outros, podem se produzir espontaneamente, por que não será o mesmo possível com as árvores, os peixes, cães e cavalos?

Aqui se detém no momento as investigações; o fio condutor se perde, e até que seja encontrado, o campo está aberto às hipóteses; seria pois imprudente e prematuro tomar os sistemas por verdades absolutas.

23. Se o fato da geração espontânea for demonstrado, embora de qualquer maneira limitada, não deixa de ser um fato capital, uma balisa que se pode colocar no caminho de novas observações. Se os seres orgânicos complexos não se produzem por esta maneira, quem sabe onde começaram? Quem conhece o segredo de todas essas transformações? Quando se vê o carvalho sair da bolota, quem pode dizer que não exista uma laço misterioso, unindo o pólipo e o elefante? (nº 25).

No estado geral de nossos conhecimentos não podemos enunciar a teoria da geração espontânea permanente, senão como uma hipótese, mas como uma hipótese provável, e que um dia, talvez tome lugar entre as verdades científicas reconhecidas. (1)

(1) "Revue Spirite", julho de 1868, pág. 204: Desenvolvimento da teoria da geração espontânea.

Copyright 2004 - LAKE - Livraria Allan Kardec Editora
(Instituição Filantrópica) Todos os Direitos Reservados