Livro selecionado: "A Gênese"

ÍNDICE

Alma da Terra

7. A alma da Terra desempenha papel principal na teoria da incrustação; vejamos se esta idéia tem melhor fundamento.

O desenvolvimento orgânico está sempre em relação ao desenvolvimento do princípio intelectual; o organismo se completa à medida que as dificuldades da alma se multiplicam; a escala orgânica segue constantemente, em todos os seres, a progressão da inteligência, desde o pólipo até o homem; nem poderia ser de outro modo, pois que a alma necessita de um instrumento apropriado à importância das funções que deve executar. De que serviria à ostra ter a inteligência do macaco, sem os órgãos necessários à sua manifestação? Se, pois, a Terra fosse um ser animado, servindo de corpo a uma alma especial em razão mesmo de sua constituição, sua alma deveria ser ainda mais rudimentar que a do pólipo, pois que a Terra não tem a mesma vitalidade da planta, enquanto que, conforme o papel que se atribui a tal alma, se faz dela um ser dotado de razão e do mais completo livre-arbítrio, numa palavra, um Espírito superior, o que não é racional, pois jamais um Espírito teria assim sido mais mal repartido e mais aprisionado. A idéia da alma da Terra, compreendida em tal sentido, deve pois ser classificada entre as concepções sistemáticas e quiméricas.

Mais racionalmente, poder-se-á entender por alma da Terra a coletividade dos Espíritos encarregados de elaborar e dirigir seus elementos constitutivos, o que supõe já um certo grau de desenvolvimento intelectual; ou, melhor ainda: o Espírito ao qual está confiada a alta direção dos destinos morais e do progresso de seus habitantes, missão essa que não pode ser desenvolvida senão por um ser eminentemente superior em sabedoria e conhecimentos. Neste caso, este Espírito não é propriamente a alma da Terra, A concordância que se pretende estabelecer, por este sistema, entre a Gênese bíblica e a ciência, é inteiramente ilusória, pois que é contraditada pela própria ciência.

O autor da carta acima reproduzida, homem de grande saber, seduzido por momentos por essa teoria, bem cedo percebeu seus pontos vulneráveis, e não tardou a combatê-la com as armas da ciência. pois não é nela encarnado, nem subordinado a seu estado material; será um chefe preposto à sua direção como um general é preposto à direção de um exército.

Um Espírito, encarregado de uma missão tão importante como a do governo de um mundo, não poderia ter caprichos, ou Deus seria muito imprevidente em confiar a execução de suas leis a seres capazes de as contrariar por sua má vontade; ou, segundo a doutrina da incrustação, seria a má vontade da alma da Lua que se atribui a causa de estar a Terra incompleta. Há idéias que são refutadas por si mesmas (Revue Spirite, de setembro de 1868, pág. 261).

Copyright 2004 - LAKE - Livraria Allan Kardec Editora
(Instituição Filantrópica) Todos os Direitos Reservados